Wednesday, August 20, 2008

Little boxes


Little boxes on the hillside


Little boxes made of ticky tacky


Litlle boxes on the hillside


Little boxes just the same...




Quem já assitiu a Weeds, certamente conhece a melodia acima, que caracteriza essa série televisiva totalmente fora do manual!


Caixinhas espalhadas pelas colinas, feitas de ticky tacky (material usado na construção desse tipo de moradia fabricada em série lá nos EUA), casas como caixinhas todas iguais!


O subúrbio norte-americano, fenômeno surgido após a 2ª Guerra, pasteurizou a família classe média, que abandonou o centro das metrópoles para viver o sonho da casa própria, em colinas distantes dos arranha-céus. Casas iguais, carros iguais, comportamento idêntico, bando de ovelhinhas que na verdade escondem lobos no interior de seus lares, pois a aparência asséptica e bem-educada... não passa de mera aparência.


Pegando esse gancho, Weeds (leia-se erva, maconha, marijuana, diamba, cannabis, baseado, fininho, marvada, baura, marofa, jererê etc) usou a maconha como estandarte, mas o roteiro não é uma apologia ao seu uso, como muitos precipitados podem imaginar, mas aborda através dessa planta a hipocrisia.

Sim, a hipocrisia que prolifera no subúrbio, uma célula representativa da nossa sociedade: ênfase em manter aparências, sejam sociais, políticas, econômicas, comportamentais, sexuais etc.


A ideia-mãe: jovem e bela moradora de um subúrbio norte-americano, fica repentinamente viúva, com dois filhos para criar, contas a pagar, status para manter e não considerando-se habilitada para exercer alguma profissão, usa seus talentos comunicativos para traficar a erva entre os moradores de Agrestic (subúrbio fictício nos arredores de Los Angeles) - note-se que AGRESTIC é um anagrama de CIGAREST - droga bem mais letal, porém legalizada.

Bastante ingênua no início da trama, a doce viúva vai ficando esperta e absorvendo a malandragem de um universo desconhecido e a trama envolve inúmeros estereótipos, como os negros que fornecem a droga, os chicanos que traficam, os maridos e esposas que traem, os filhos que aprontam, mentem e se dão bem, algumas cenas realistas, outras totalmente incríveis, mas todas acabam levando à reflexão. Mesmo sendo uma comédia, Weeds faz o público usar os neurônios, se já nãos os tiver queimado todos...


A questão da marijuana é tratada de forma natural e fica-se com muita informação, como sobre os clubes de maconha medicinal (totalmente legalizados) e o uso da erva na culinária. Inclusive, o DVD da primeira temporada (que apresenta muitos extras), traz algumas receitas, onde na relação dos ingredientes, há sempre a seguinte indicação: 2 tablespoons of spice of your choice!


Traduzi uma delas, que pode ser feita com os temperos (ou condimentos ou ervas) à sua escolha:


BOTWIN BUDDHA BROWNIES


Ingredientes

1/2 xícara (chá) de manteiga sem sal

1 xícara (chá) de açúcar granulado

2 CS de água

100 g de cacau

2 ovos grandes

1 1/2 CS de extrato de baunilha

1 1/3 xícara (chá) de farinha de trigo

1/2 cc de bicarbonato de sódio

1/4 cc de sal

1/2 xícara (chá) de nozes picadas

2 CS de ervas à sua escolha


Como fazer

Pré aquecer o forno a 350º e untar uma forma de tamanho médio. Aquecer o açúcar, a manteiga e água numa panela até ferver, mexendo sempre. Tirar do fogo e juntar o cacau, mexendo até dissolvê-lo. Bater os ovos e adicioná-los, depois o extrato de baunilha - mexer bem a mistura.

Adicionar a farinha, o bicarbonato e o sal (mexer bem). Por último, colocar as nozes e os condimentos escolhidos.

Colocar a mistura na forma e assar por 15 a 20 minutos, inserindo um palito na massa para verificar se está no ponto (ele deve ficar seco). Espere esfriar antes de cortar a massa em quadradinhos.


Para quem ainda não assistiu, a primeira e a segunda temporadas já se encontram nas locadoras e também à venda nas lojas (precinho camarada: 39 reais cada, com 2 DVDs). No Brasil, a série passa no canal GNT e já está na quarta temporada (EUA).


Detalhe: autoria de Weeds é feminina (Jenji Kohan) e a trilha musical é excelente: 'Little Boxes' by Malvina Reynolds é provavelmente o tipo de música que você nunca ouviu antes... muuuuito interessante também é que na segunda temporada, a cada capítulo, essa música é interpretada por um artista diferente com um arranjo diferente, em diferentes ritmos!



8 comments:

Carla Beatriz said...

Oi,

Tem um presente para ti lá no Vai, Carla! Ser Gauche na Vida!

Vai lá conferir! ;-)

Beijos

Carla Beatriz said...

Vera,

Lê este post a respeito da vacinação contra a rubéola.

Beijos

Silvia said...

Vera, eu li por aí que há vários tipos de cânhamo, e só um dá o tal barato, os outros podem ser usados tranqüilamente. Confirma?

Vera Falcão said...

Silvia, olha só que sincronicidade: há poucos dias recebi um e-mail de um grupo do qual faço parte (receitas-ecologicas@googlegroups.com), dizendo o seguinte:

"Tipo 1 - Leite de semente de maconha: Existem 36 tipos de maconha, somente uma tem THC, todas as outras se pode consumir como alimento. Aqui na Europa (a autora vive na Espanha) todas as lojas de produtos naturais vendem pois é 3 x melhor que a linhaça, pois além do +Omega 3 e o 6, o Kanhamo tem ômega 9. Estudos nutricionais dizem que é o alimento mais parecido com o leite humano, tem cálcio e alto teor de proteína. Tem tabém gosto forte; necessariamente se deve colocar uma banana.

Receita: 6 colheres sopa de kanhamo ou semente de maconha
2 copos de água
1 banana
Modo de preparo: a) Bater em um liquidificador a semente e a água; b) Coar num tecido fino, tipo fralda de bebê; c)Limpar o liquidificar e bater o leite com a banana."

Detalhe: esse leite ela deu para seu bebê, que estava começando a experimentar alimentos novos, além do LM.

Vivendo e aprendendo, não?
Aliás, esse grupo é muito legal, recomendo fazer parte, tem dicas incríveis de alimentação.

Green Womyn said...

Sempre tive vontade de ver essa série, mas, como durmo cedo, não consigo. A idéia, no entanto, não me parece original, visto que há anos já tínhamos o maravilhoso filme O Barato de Grace. Vc já viu?

Beijos!

Vera Falcão said...

Também não consigo acompanhar séries, por isso espero sair em dvd e assisto todos os episódios de uma vez só... sim, esse filme tem um plot semelhante, apesar de que a heroína é uma excelente jardineira e ela mesma planta a erva; na série, a viúva limita-se a comercializar (rs). O filme é muito legal, satírico, mas a série rende muito mais, torna-se uma análise do comportamento norte-americano.

bjs

Silvia said...

Mas, Vera, tem isso pra vender no Brasil?

Vera Falcão said...

N�o, Silvia, tem que importar, olha no post Little Boxes 2, tem o link pra um site em Portugal. N�o achei caro, devido ao grande valor nutricional. Tem gente que paga bem mais por um vidro de rem�dio alop�tico...