Wednesday, December 30, 2009

Avatar


Meu último post de 2009 é sobre esse filme espetacular que é uma mensagem ecológica, do início ao fim e com a proposta de acordar os dorminhocos que ainda não perceberam a nossa Queda em progressão alucinante...

Perdemos a conexão com a Mãe Terra, nosso planeta, que tornou-se algo distanciado de nós, a quem não mais respeitamos ou dedicamos reverência, gratidão ou amor.

Os "alienígenas" do filme de James Cameron somos nós, quando ainda tínhamos uma conexão estabelecida entre todos as manifestações de vida do planeta, quando éramos um Todo - uma Rede feita de milhares de filamentos interagindo e criando.

Os "terráqueos invasores" também somos nós, transformados, perdidos, anjos decaídos transformados em seres sem alma, movidos pela ganância, pela ânsia de acumular bens materiais sob qualquer circunstância, passando por cima de tudo e todos.

Os efeitos visuais maravilhosos - imagens que já perdemos na nossa realidade, provavelmente extintas há muito tempo por alguma barbárie - a tecnologia alucinante do 3D que nos prende por 3 horas à uma poltrona, com os olhos vidrados na tela - são recursos para nos atrair à mensagem profunda e eterna: é necessário manter o equilíbrio, quando ele está se desmanchando, uma corrente oposta se manifesta e somos forçados a regressar, por bem ou por mal, a ele - aos braços divinos, ao Criador, ao Caminho do Meio - denominem cada uma a seu gosto, mas a Verdade é uma só, embora com muitos Nomes.

Assistir Avatar me deu muito prazer, mas ao mesmo tempo, muita tristeza - ter a cada dia, mais certeza, que estamos fazendo tudo errado - outra vez - e que caminhamos para mais uma derrocada, depois de lutarmos tanto para ascender...
Mas ainda mantenho a esperança - pois filmes como esse podem despertar muitos corações - desejo tanto que isso aconteça!

2010 seja o ano em que você vai, finalmente, despertar!

Tuesday, December 29, 2009

Crueldade gratuita


O que levou um grupo de adolescentes a invadir uma escola em Ponta Grossa (Paraná) e, além de arrebentar as portas e sujar banheiros, a matar 6 filhotes de cachorro que estavam no pátio?

Os animais foram atirados contra um ventilador ligado!

(Notícia obscura e perdida ao lado de um enorme anúncio, na Zero Hora de 29/12/09).

Um minuto de silêncio...

... por todos os perus que deram suas vidas para abrilhantar a ceia natalina dos humanos!




Friday, November 27, 2009

A enganação do NATURAL


Ingredientes como a gordura vegetal hidrogenada, o glutamato monossódico, o aspartame, a sacarina e tantos outros estão sendo desmascarados e trazidos ao conhecimento do público os malefícios por eles produzidos.

Mas, pior ainda, a indústria alimentícia, para não perder a isca com a qual atrai o consumidor (porque tais ingredientes aumentam o sabor dos alimentos e viciam), encontrou um estratagema: transforma a denominação, esconde-os sob outros nomes e ali ficam disfarçados, como camaleões!

No blog Cozinha Natureba, experimentei um macarrão instantâneo que não é frito e apresenta um tempero com a informação de não conter MSG, mas na lista de composição lá está o disfarce: "extrato de levedura". Então, produtos ditos NATURAIS E LIVRES DE INGREDIENTES PREJUDICIAIS podem estar sendo apenas maquiados, isto é, contendo tóxicos escondidos sob uma máscara!

Leiam aqui: o glutamato escondido

Saturday, November 14, 2009

Enganando o consumidor


Compradores de leite de soja enganados nos EUA

Até o início de 2009, a marca de leite de soja Silk nos EUA era feita com soja biológica/orgânica.
Mas após essa data, a Dean Foods (proprietária da marca Silk) calma e silenciosamente, introduziu a soja convencional nos seus produtos, que muitas vezes é cultivada com pesticidas.
Porém, mantiveram o mesmo código de barras UPC nos seus produtos e o rótulo, praticamente o mesmo, apenas substituindo a palavra "orgânico" por "natural", de uma maneira pouco perceptível.
Também mantiveram o mesmo preço, cobrando dos consumidores o valor de um produto que foi feito, de repente e sem avisos, com a soja convencional.

• Investidores da Dean Foods incluem a Pfizer, a ExxonMobil, a Coca-Cola e Wal-Mart.

• A Dean Foods controla 70% de todos os produtos de leite "orgânico" vendido nos E.U.A.

Fonte: http://www.naturalnews.com/027450_food_foods_Dean.html


É assustador... não podemos mais confiar em ninguém?
Atualmente, confiança é um artigo de luxo!
Mais um motivo para não beber LEITE DE SOJA...

Thursday, November 12, 2009

Máquina de assar humanos


Finalmente, foram proibidas! Sempre achei que eram prejudiciais à saúde e muito esquisitas: o sujeito ficar trancado dentro de um cilindro recebendo radiação!

As câmaras de bronzeamento artificial não poderão mais ser utilizadas para fins estéticos no país. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou, nesta quarta-feira (11), a resolução RDC 56/09 (PDF) que proíbe, além do uso, a importação, o recebimento em doação, aluguel e a comercialização desses equipamentos.

A medida foi motivada pelo surgimento de novos indícios de agravos à saúde relacionados com o uso das câmaras de bronzeamento. Um grupo de trabalho da Agência Internacional para Pesquisa sobre Câncer (IARC), ligada à Organização Mundial da Saúde, noticiou a inclusão da exposição às radiações ultravioleta na lista de práticas e produtos carcinogênicos para humanos.

De acordo com o diretor da Anvisa, Dirceu Barbano, a proibição já está valendo e não haverá prazo de transição.

Segundo ele a decisão da Agência também foi motivada pela constatação de que os equipamentos não contam com manutenção adequada e têm sido utilizados sem controle.

“Não se conseguiu comprovar nenhum benefício que justificasse a manutenção no mercado de um produto que comprovadamente causa câncer”, explicou Barbano.

O estudo da IARC indica que a prática do bronzeamento artificial aumenta em 75% o risco do desenvolvimento de melanoma em pessoas que se submetem ao procedimento até os 35 anos de idade. A resolução da Anvisa também afirma que não existem benefícios que se contraponham aos riscos decorrentes do uso estético das câmaras de bronzeamento. No país existe apenas uma câmara de bronzeamento registrada.

A proibição não se aplica aos equipamentos com emissão de radiação ultravioleta destinados a tratamento médico ou odontológico. Antes da decisão da Anvisa, o tema foi discutido com a sociedade em uma consulta pública e uma audiência pública, realizadas em setembro deste ano.

As empresas que não cumprirem a decisão estão sujeitas a penalidades que vão de advertência, interdição até multas de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão.

Informe da Anvisa, publicado pelo EcoDebate, 12/11/2009

Wednesday, November 11, 2009

Alice no País das Finanças



Atravessei o espelho e saí do meu mundinho economicamente simplório para me inserir no deslumbrante universo das instituições financeiras.
Buscava um pequeno empréstimo para saldar um dívida - nada muito glamouroso.
Entrei na financeira com uma pasta lotada de papéis, documentos, comprovantes e o principal requisito - um "nome limpo", ou seja, nada consta no spc, nada consta na serasa, nada consta na venda da esquina...
Depois de meia-hora de indagações, telefonemas (dei azar que o telefone do meu trabalho chamou várias vezes e ninguém atendeu), a funcionária perguntou sobre meus cartões de crédito, meus talões de cheque, as lojas em que eu comprava.
Informei que não usava nenhum desses itens, que estava totalmente à margem desse sistema - não tenho a carteira abarrotada de cartões coloridos, traiçoeiros pedaços de plástico que te levam a gastar muito mais do que ganha.
A moça ficou boquiaberta: "mas a senhora não compra a crédito em nenhuma loja, não tem algum cartão, não fez consulta de crédito em nenhuma loja nos últimos dois meses?"
Comecei a me sentir desconfortável, até um tanto envergonhada, como se tivesse cometido um crime sem saber do seu teor.
"Já disse que não uso cartões para comprar, gosto de pagar à vista. Há alguma coisa errada nisso?"
Ela sorriu amarelo e digitou mais alguns minutos no computador, talvez procurando saber quantas vezes eu esvaziava os intestinos por dia ou se escovava os dentes após todas as refeições.
Finalmente, deu o veredito: "sua ficha está aprovada (nada constava em desabono nos fichários pega-caloteiro, moro há mais de 20 anos no mesmo endereço, tenho um comprovante da renda razoável), MAS, por enquanto nós vamos lhe dar o nosso cartão de compras e, mais tarde, daqui a uns dois meses, o cartão de empréstimos"!
Nossa, deveria ter beijado suas mãos, seus pés, talvez o chão da financeira, pois fui abençoada com um cartão de compras que me daria inúmeras vantagens, menos a que eu mais queria: o EMPRÉSTIMO!
Recolhi minha papelada, agradeci comovida o cartão ("mas é o melhor cartão da loja!") e saí rápidamente, antes que colocassem à força um deles na minha bolsa.

Se entendi corretamente, o sujeito cheio de cartões, geralmente atolado em dívidas, mas um consumidor ativo que está sempre renegociando e pagando juros abusivos tem mais chance de conseguir um empréstimo financeiro do que alguém que tem um bom salário, um nome limpo no sistema mas não é uma vítima do consumismo!
Mais um dos Mistérios do Universo...

Da liberdade e da moralidade



Sem emitir juízo de valores, não é essa a minha intenção aqui: se a moça queria aparecer, conseguiu, teve mais que os 15 minutos de fama preconizados por Andy Warhol... e criou uma saia justa para muitas mulheres. Violência não se justifica, mas ela existe e vai continuar por aí - melhor não mexer com o bicho, deixá-lo inconsciente, de molho.

Enquanto isso, duas casas noturnas de Passo Fundo/RS, fazem propaganda de suas funcionárias seminuas em cartazes nas ruas - foi pedida a retirada das fotos para não assustar as criancinhas - mas e todas as barbaridades que elas têm visto por aí, livremente, também irão ser "retiradas"? Tem uma frase já bem gasta e pouco usada: "a minha liberdade termina onde começa a do outro"...



Então: moral e ética? hipocrisia? qual serve para qual ocasião? depende da ótica, do ângulo ou do momento? O mais desanimador é que podemos ver pessoas famintas, rastejando e dormindo pelas calçadas e isso não é considerado imoral, mas normal...

Sunday, November 1, 2009

Avião da FAB cai na selva amazônica


A maioria dos passageiros eram funcionários da Funasa, que viajavam para vacinar comunidades indígenas.

Obviamente, um acidente sempre é um acontecimento trágico e ninguém deseja tal destino para ninguém... gostaria aqui de comentar o fato me limitando ao ângulo da vacinação para indígenas, a qual acho desnecessária.

Então:

Vendo por um ângulo tradicional:
Coitados, são abnegadas pessoas que estavam fazendo uma viagem difícil e incômoda para levar a saúde para os índios... as vacinas têm que chegar a todos os rincões do país, mesmo os mais distantes!

Vendo por outro ângulo:
Os índios têm a sua própria medicina - encontram todos os medicamentos de que necessitam na selva, onde há uma variedade inimaginável de plantas que curam.

Pegam "doenças de branco" quando entram em contato com ele - assim como aprendem a andar de chinelo havaiana e bermuda, as mulheres a esconder os seios, beber cerveja, comer porcaria, ver televisão, usar celular e outras coisas que invadem seu mundo à parte, que deveria permanecer fiel aos seus costumes e tradições - para que precisam de "civilização ocidental"?

Eles têm a sua própria civilização!

O homem branco não deveria arriscar-se em vôos perigosos para levar coisas desnecessárias a um povo que tem sua própria cultura e estilo de vida.

Deixem-nos florescer na selva - e também deixem a selva em paz!

Lendo essa outra matéria, refleti sobre as palavras do último parágrafo:

Gripe A chega a índios da Amazônia, alerta ONG inglesa

Fonte: G1 (12/agosto/2009)

A gripe A (H1N1) chegou a índios da Amazônia peruana, informou nesta quarta-feira (12) a ONG inglesa Survival International. De acordo com a organização, sete membros da tribo Matsigenka estariam infectados pelo vírus, segundo informações do departamento de saúde em Cusco.

Tribo Matsigenka, que tem sete membros infectados, fica próxima ao rio Urubamba, na porção amazônica do Peru. (Foto: J Mazower - Survival International/Divulgação) No Brasil, a nova gripe ainda não chegou aos índios amazônicos. Segundo a Funasa (Fundação Nacional de Saúde), organização responsável pela saúde indígena no Brasil, atualmente há 80 casos sob suspeita em todo o país, mas nenhum foi confirmado ainda como gripe A. Houve um caso de óbito no Sul, mas depois disso nenhuma outra infecção foi registrada.

A grande preocupação, tanto para a Funasa quanto para a Survival, é que os índios costumam ser mais vulneráveis às doenças respiratórias. No caso do Peru, há um agravante: a tribo dos índios infectados fica próxima a grupos de índios isolados, que podem não ter anticorpos nem para a gripe comum.

Segundo a ONG, no mundo todo os povos tribais são mais frágeis à gripe A, pois são mais pobres do que a média da população, têm menos imunidade e sofrem de doenças crônicas, como diabetes e doenças cardíacas.

Porque será que os povos tribais encontram-se nesse estado?
Tenho minha resposta na ponta da língua, mas muitos devem ter alguma outra para apresentar...

Saturday, October 31, 2009

Superexposição


Nas aulas de fotografia que tive na faculdade, aprendi que superexposição acontece quando uma foto fica muito clara, brilhante demais, com luz excessiva. Pois acho que é isso que está acontecendo com a maioria das pessoas: todas querem aparecer demais, brilhar demais, competir e concorrer pela atenção da multidão de uma forma exagerada.

Também acho que foi o que aconteceu com a Geyze Arruda, uma garota universitária que foi à aula vestindo um microvestido, quase foi estuprada e teve que sair do local com uma escolta de cinco soldados da Polícia Militar. Como todo mundo hoje tem um celular, gravaram a moça de 20 anos, saindo cercada pelos policiais, enquanto a turba gritava: puta, puta, puta!

O vestido era rosa-choque, o salto 15 e a maquiagem própria para ir a uma balada.

Porque Geyze escolheu essa indumentária para ir estudar numa Universidade, à noite, com uma grande percentagem de alunos homens, com a testosterona em ebulição, provavelmente vindos de um dia cansativo de trabalho e querendo divertir-se?

Não nego o direito e a liberdade de escolher a maneira que qualquer um queira apresentar-se ao mundo. Mas há certas regras subtendidas...

Então, vejamos: quando você vai a um velório, veste-se discretamente, em tons escuros, que denotam tristeza pela perda do falecido.
Quando vai a uma entrevista de emprego, coloca uma roupa neutra, que não interfira com a sua capacidade profissional.
Se vai à uma festa, solta a franga do armário de roupas.
Enfim, uma roupa é um código. Ela expressa alguma coisa sobre a pessoa que a veste: o que ela pensa, o que ela procura, do que ela gosta - e não é questão de ter dinheiro ou não, porque com ele ou sem ele, você irá comprar e usar o mesmo tipo de roupa - apenas a qualidade será inferior ou melhor.

Num palco, permite-se todo o tipo de exagero - afinal, quem está nele deseja brilhar e faz parte da profissão buscar essa exposição.
Talvez as pessoas que não têm acesso a uma vitrine onde possam exibir-se, queiram brilhar em qualquer lugar - mas esquecem dos inconvenientes que vêm junto com a ousadia - piadinhas, mão boba, insultos e até a possibilidade de um ataque sexual, como foi o que quase aconteceu coma universitária.

Mas se ela queria mesmo aparecer a qualquer custo, já conseguiu.
Há vários videos no youtube - do acontecimento e pós-acontecimento - pois ela foi a programas de televisão explicar e contar a sua versão. Quem sabe ela irá participar do próximo Big Brother, ser convidada para posar nua na Playboy ou apresentar um programa de tv - talvez até candidatar-se a vereadora, se o assunto render bastante!

Será que sou beata ou pudica? Penso que sou coerente: que na praia é comum encontrar pessoas desnudas (é tão comum que chega um momento em que as pessoas cansam de ver peitos e nádegas ao ar livre), em festas todo mundo exagera no layout (é festa, né?) e se estou em um local em que há muitas pessoas do sexo oposto e não estou querendo fisgar ninguém nem aguentar piadinhas idiotas ou obscenas, ponho uma roupinha light - pode até ser sexy - mas de uma maneira que não descontrole e agite demais os hormônios de ninguém...

Mais uma coisinha que me ocorreu: as pessoas ainda associam roupa curta, salto alto e maquiagem pesada com prostituição (era o que a massa gritava para Geyse no video - não só homens mas mulheres também) - mas vemos garotas desfilando em passarelas de moda (e fotografando para campanhas de propaganda) com esse look e ninguém grita palavrões a elas... será hipocrisia?

Palavras da Geyse: "Sempre ando arrumada, salto alto e maquiada.
É assim que me vejo.
É assim que eu sou.
Mas, desde aquela quinta-feira, não consigo mais ser quem eu era.
Só me visto de calça e camiseta e a maquiagem, ficou na gaveta".

Ela passou para o outro extremo - agora quer ser uma pessoa apagada, perdida na multidão.
Talvez essa experiência a ajude a encontrar o Caminho do Meio, o ponto de equilíbrio que a faça ser uma pessoa especial e única - ou talvez, ela tenha vindo ao mundo para chocar ou brilhar demais, como um rabo de cometa, que passa rápido e se consome em sua própria luz.

Ou será que vamos chegar a um ponto em que cada um vai ostentar o visual que bem lhe aprouver e o vizinho não vai dar a menor bola, nem reparar? Não iremos mais nos comunicar através de nossas vestimentas - elas voltarão a ser apenas proteção para as intempéries, nos protegendo somente dos males do aquecimento global e dos buracos da camada de ozônio?

Tuesday, October 27, 2009

Médicos não querem tomar vacina



Em Portugal, isso está acontecendo com a nova vacina contra a gripe A: NÃO HÁ UM CONSENSO ENTRE OS PROFISIONAIS DE SAÚDE...

Leiam o artigo:

Ministério vai sensibilizar médicos que não querem ser vacinados

As primeiras 54 mil doses da vacina para a gripe A chegaram ontem a Portugal.
As embalagens estão agora a ser encaminhadas para os hospitais e centros de saúde onde vão ser administradas, a partir de segunda-feira, aos grupos de risco seleccionados para esta primeira fase: grávidas no segundo e terceiro trimestre de gravidez que tenham uma patologia grave associada, trabalhadores de sectores "indispensáveis ao normal funcionamento da sociedade" (onde se inserem os órgãos de soberania e militares) e profissionais de saúde.
Contudo, é neste último grupo que ainda há resistências em relação à vacina, reconheceu ontem a ministra da Saúde.
Uma posição que Ana Jorge espera que os médicos e outros profissionais mudem, apesar de garantir que o ministério não vai nem "pode obrigar ninguém a ser vacinado". Para o director da Escola Nacional de Saúde Pública, Constantino Sakellarides, a vacina tem "benefícios evidentes" e, por isso, acredita que os médicos vão "consolidar a opinião". O problema não é, aliás, novo: "Tem a ver com a percepção dos profissionais de saúde do risco de adoecerem e os médicos sentem-se saudáveis. Acontece exactamente o mesmo com o Plano Nacional de Vacinação", disse a subdirectora-geral da Saúde, Graça Freitas.


Crianças a dobrar

Mas o bastonário da Ordem dos Médicos, Pedro Nunes, contactado pelo PÚBLICO, nega esta ideia. "Não se pode perder a noção das proporções. Estamos a falar de gripe, de uma doença banal como é a gripe sazonal", defendeu. E desvalorizou o facto de alguns profissionais não quererem ser vacinados, assegurando que não duvidam da segurança da vacina e apenas consideram que a pandemia não o justifica. "É um bom exercício de saúde pública e que trouxe, acima de tudo, bons hábitos de higiene."

Sobre a parte prática da vacinação, Graça Freitas explicou que tudo será semelhante ao Plano Nacional de Vacinação.
Um camião frigorífico distribui as doses (mais cinco mil do que as 49 mil inicialmente previstas) pelas cinco administrações regionais de saúde e direcções regionais, que têm a missão de entregá-las aos centros de saúde, hospitais e empresas.
A única condição é que em cada local sejam vacinados conjuntos de múltiplos de dez pessoas, já que as embalagens têm dez doses de adulto e um prazo de validade de 24 horas depois de abertas. A dose das crianças é metade, pelo que dá para imunizar o dobro.Neste conjunto inicial serão vacinadas dez mil grávidas, 15 mil profissionais de saúde e perto de 30 mil profissionais de sectores essenciais - todos do grupo prioritário A. Seguem-se as restantes pessoas do grupo A (um total de 360 mil), ou seja, todas as grávidas no segundo e terceiro trimestre, doentes com asma moderada a grave entre os seis meses e os 65 anos, obesos e, entre outros, imunodeprimidos.
Os outros dois grupos, B e C, onde estão os restantes doentes crónicos, profissionais essenciais e crianças até 12 anos terão de esperar, sendo que as entregas de vacinas serão semanais e nunca inferiores a 50 mil.

Portugal reservou seis milhões de doses que vão servir para imunizar cerca de 30 por cento da população. A vacina será administrada em duas doses, com um intervalo de três semanas. Segundo disse o director-geral da Saúde, Francisco George, o objectivo é "proteger os cidadãos vulneráveis" e não imunizar toda a população.


Fonte: http://jornal.publico.clix.pt/noticia/22-10-2009/ministerio-vai-sensibilizar-medicos-que-nao-querem-ser-vacinados-18063362.htm

É notável quando os profissionais da saúde também questionam o uso de medicamentos como a vacina - e não apenas um "bando de pais malucos e naturebas"...

EUA NÃO QUEREM USAR A VACINA EUROPEIA - qual a melhor, a minha ou a sua? Dizem que só o pessoal do alto escalão e alguns escolhidos a dedo, estariam tomando a "melhor"... o povão está servindo como COBAIA!

Leia mais aqui.

Monday, October 26, 2009

Legislação ambiental no RS em PERIGO!

Essa notícia estarrecedora trouxe do blog BIO WILSON e também do RS URGENTE, a fim de que mais pessoas possam colaborar com a ação:



"O projeto que altera toda a legislação ambiental do RS poderá ser votado nesta terça-feira (27/10), na Comissão de Constituição e Justiça. As entidades ambientalistas estão mobilizadas para tentar evitar esse grave retrocesso no Estado. O relator, deputado Marquinhos Lang (DEM), já deu parecer favorável ao mesmo e o deputado Luiz Fernando Záchia (PMDB) pediu prioridade para que o PL 154 seja votado rapidamente (o PL 154 significa uma flexibilização ainda maior da legislação ambiental no Estado, em flagrante desacordo com a legislação federal, em especial no que diz respeito ao Código Florestal).

Diante desse quadro, a Assembléia Permanente de Entidades em Defesa do Meio Ambiente (APEDeMA-RS) lançou uma ação via internet para lotar as caixas de correspondência dos deputados com mensagens de protesto e indignação contra as mudanças propostas pelo PL 154.

A estratégia da ação é seguinte:

1 – Onde diz Assunto escreva – Vote não à PL 154, pela manutenção do Código Ambiental.

2 – Cole os endereços de email dos deputados:

alceu.moreira@al.rs.gov.br; fernando.zachia@al.rs.gov.br; edson.brum@al.rs.gov.br; elvino.bohngass@al.rs.gov.br; fabiano.pereira@al.rs.gov.br; francisco.appio@al.rs.gov.br; pedro.westphalen@al.rs.gov.br; nelson.marchezan@al.rs.gov.br; adroaldo.loureiro@al.rs.gov.br; giovani.cherini@al.rs.gov.br; iradir.pietroski@al.rs.gov.br; marquinho.lang@al.rs.gov.br; luciano.azevedo@al.rs.gov.br; bancada.dem@al.rs.gov.br; bancada.pdt@al.rs.gov.br ; bancada.pp@al.rs.gov.br; bancada.pps@al.rs.gov.br; bancada.prb@al.rs.gov.br; bancada.psb@al.rs.gov.br; bancada.psdb@al.rs.gov.br; bancada.pt@al.rs.gov.br; bancada.ptb@al.rs.gov.br

3 – No corpo de email

O ataque à legislação ambiental promovido pelos agentes políticos que deveriam zelar pela legislação do Estado é uma vergonha. A sociedade não foi consultada sobre as alterações propostas pelo Projeto de Lei 154, a consulta e proposição ficou limitada aos setores produtivos, e as conseqüências ambientais deste projeto serão sentidas por toda a sociedade. Caros deputados, coloquem a mão na consciência e não dêem andamento a este suicídio ecológico. A produtividade das terras e a produção de alimentos necessitam de um ambiente equilibrado, fora isto toda iniciativa de ampliar a produção e explorar a terra de forma exaustiva, significa a perda de potencial produtivo em médio e longo prazos, além da dependência e subordinação dos produtores às empresas de insumos, deixando a terra apenas como suporte, um meio de cultura, onde a produção necessitada cada vez mais de aditivos externos para garantir a produção. Ademais, fragilizar a legislação ambiental, no momento em que o mundo todo busca alternativas para conter os impactos da crise ambiental e climática, demonstra o grau de desconhecimento das verdadeiras demandas sociais e da urgência do tema, por parte do nosso legislativo, por parte dos nossos representantes. Estamos de olho nos Senhores, e vamos cobrar uma postura ética e moral referente às questões ambientais. Por nossos filhos e netos, pelas futuras gerações. Seu voto pode garantir a sustentabilidade ambiental do RS. Nossos votos podem garantir a sustentabilidade de seus mandatos.

PARTICIPEM, AINDA HÁ TEMPO PARA AGIR!

Leia mais aqui.

Wednesday, October 21, 2009

Redundância


Achei essa atitude de estender a mão para atravessar a rua, na faixa para pedestres (sem sinaleiras), uma enorme redundância (iniciativa criada em Porto Alegre/RS)!
Pois, tal faixa já existe com essa função: a de permitir que o pedestre atravesse em segurança nesse local!
Agora, temos que ficar parados em frente a ela e com a mão estendida, compondo uma imagem de súplica...


Se estou parado em uma faixa de pedestres, qual será a minha intenção?

Marque a alternativa correta:

(a) estou querendo atrair a atenção dos motoristas para minha roupa fashion;

(b) estou treinando para arranjar um emprego de estátua viva;

(c) tive um espasmo muscular e não consigo me movimentar, tendo que ficar parado ali;

(d) marquei um encontro justamente naquele lugar;

(e) quero atravessar a rua, para chegar à calçada oposta.


Se marcou a alternativa e, você pensa igual a mim!

Se marcou qualquer outra das alternativas, você é uma pessoa que consegue arranjar mil e uma utilidades para tudo!

Monday, October 19, 2009

Monsanto mente e paga multa


Monsanto é condenada na França por propaganda enganosa
18/10/2009

O Supremo Tribunal da França rejeitou um recurso apresentado pela multinacional de sementes e agrotóxico Monsanto.

Com a decisão, a empresa terá que pagar, em definitivo, uma multa de QUINZE MIL euros por propaganda enganosa do herbicida Roundup.

Também foi multada, no mesmo valor, a empresa Scotts France, que distribui o herbicida na França.

Nos comerciais, o herbicida foi apresentado como uma substância biodegradável.

No entanto, desde 1991 as autoridades européias consideram o Roundup perigoso para o meio ambiente.

(Agência Chasque)

Wednesday, October 14, 2009

Diarréia ainda mata no século XXI



Quase 1,5 milhão de crianças de menos de cinco anos morrem a cada ano de diarréia, segunda causa de mortalidade infantil depois da pneumonia, segundo relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e da Organização Mundial da Saúde (OMS) publicado nesta quarta-feira (14/10/09).

No total, as infeccções diarréicas propagadas pelas águas sujas estão na origem de quase 18% das mortes de crianças no mundo, destacou. Além disso, apesar dos esforços realizados pelas organizações humanitárias, a diarréia é a segunda causa de mortes entre os mais jovens.

"Portanto, existem tratamentos eficazes e pouco custosos, mas nos países em desenvolvimento, somente 39% das crianças com diarréia recebem os cuidados necessários", lamentou a diretora da Unicef, Ann Veneman, citada em um comunicado.


Fonte: France Press - G1

Então:

1) 1,5 milhão de crianças de menos de 5 anos morrem a cada ano;

2) as infecções são propagadas pelas águas sujas;

3) existem tratamentos eficazes e pouco custosos.


O que o governo está esperando para acabar com esse problema de saúde?

É um caso de Saúde Pública (dessa forma os defensores das vacinas costumam denominar a necessidade delas para combater doenças) e aqui, elas nem são necessárias.

Que tal usar as verbas destinadas à compra de medicamentos para tratar dos esgotos?

Wednesday, October 7, 2009

Agrotóxicos na nossa comida


Se já está comprovado, "cientificamente", que os agrotóxicos pulverizados nos alimentos fazem mal à nossa saúde, porque eles ainda estão sendo utilizados e nós ainda estamos sendo intoxicados por eles?

Friday, September 25, 2009

Cozinha Natureba na TV

Conheça o Programa Vida Orgânica e assista também minha participação no quadro de culinária:

veja aqui

Wednesday, September 2, 2009

Expondo as entranhas


Todo mundo já deve ter assistido ao lamentável video de Vanusa, a cantora que deu ao Hino Nacional Brasileiro uma versão desafinada, caótica e vexaminosa - letra e melodia foram transformados pela sua interpretação desconexa.
Línguas venenosas disseram que ela estava bêbada, drogada.
Vanusa alegou doença - um rol de padecimentos como labirintite e três cirurgias realizadas recentemente devido a uma queda.
Será que ela deveria estar apresentando-se em público com a saúde tão fragilizada?
Os remédios para labirintite, o stress, briga com o filho, visão fraca - desculpas que foram dadas para o acontecido.
Particularmente, fiquei entristecida com o fato; sendo também cantora, conheço a tensa responsabilidade de estarmos num palco, da ansiedade que sentimos - mesmo que sejamos veteranas na profissão, sempre existe um certo receio de que a apresentação não seja um sucesso - a voz pode falhar, podemos esquecer a letra, um escorregão, um tropeço... E no caso, dela foi um total fracasso!
Com 61 anos e com a saúde abalada, não deveria ter corrido esse risco, indo apresentar-se sob medicação pesada e com efeitos colaterais - mas não posso julgar os motivos que a impeliram a cumprir seu compromisso, apesar da estafa.
Já cantei com febre, gripada, com dor de garganta, amamentando, preocupada com filho doente em casa, terminei um show às 5 da manhã e às sete estava na faculdade fazendo prova, enfim, vida de artista não é o mar de rosas que aparenta ser... e ao público não interessam nossos problemas, o que ele quer é um espetáculo perfeito! Se você faz uma apresentação brilhante, é aplaudida; se comete erros, é vaiada - simples como 2 e 2 são 4.
Não acredito que ela buscasse essa publicidade negativa, mesmo estando no ostracismo.
Infelizmente, talvez agora ela fique mais conhecida por ter pago esse mico do que por todo o trabalho que já realizou, desde a época da Jovem Guarda.

"Eu tomei calmante, eu tomei o remédio pra labirintite, eu tomei neosaldina e fui."
Com tanta medicação no organismo, é compreensível que tenha perdido o controle de si própria.

Ofensiva contra os agrotóxicos


Anvisa e deputados paulistas avaliam retirar do mercado substâncias proibidas em outros países
Reportagem de Luciana Abade, no Jornal do Brasil

A luta da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para tirar do mercado brasileiro 14 princípios ativos presentes em mais de 200 agrotóxicos pode ganhar um novo aliado: a Assembléia Legislativa de São Paulo. O deputado estadual Simão Pedro (PT-SP) protocolou ontem um projeto de lei que determina a retirada desses 14 produtos em todo o estado de São Paulo a partir de 1º de janeiro. A maioria dos princípios ativos – abamectina, acefato, carbofurano, cihexatina, edossulfam, forato, fosmete, glifosato, lactofem, metamidofós, paraquate, parationa metílica, tiram e triclorfom já é proibida nos Estados Unidos, Japão, Canadá e alguns países da Comunidade Européia.
Países do Terceiro Mundo - servimos de lata de lixo e ainda pagamos por isso (em dinheiro e em doenças!)

Levantamento recente feito pelo Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos da Anvisa constatou a presença de acefato, endossulfam e metamidófos em amostras recolhidas de abacaxi, alface, arroz, batata, cebola, cenoura, laranja, mamão, morango, pimentão, repolho, tomate e uva.


Pioneiro

- Vamos dialogar com o governador José Serra para assim como foi com a lei antifumo e com a proibição do amianto na construção civil, o estado de São Paulo seja pioneiro nessa luta – afirmou o deputado.

- Não podemos usar produtos que favoreçam o agronegócio em detrimento da saúde. Temos no estado 18 institutos de pesquisa e três universidades de ponta. Podemos desenvolver produtos que favoreçam a produção sem prejudicar a saúde da população.

A proposição obriga as unidades de saúde das redes pública e privada a notificar todos os casos de doenças e óbitos ocasionados pela exposição a qualquer tipo de agrotóxico sob o argumento de que as ocorrências são subnotificadas. No Brasil, a segunda causa de intoxicação, depois de medicamentos, é por agrotóxicos.

Quem infringir as novas regras está sujeito às penalidades previstas no Código Sanitário do estado que vão desde advertência ao cancelamento de licença de funcionamento da empresa e até invenção. As multas podem chegar a R$ 150 mil.

- O uso desses produtos é responsável por uma forte incidência de câncer. Precisamos proteger a população que está desprotegida e desinformada – ressaltou o autor da proposta. – E o estado de São Paulo deve ser responsável por 40% dos US$ 7 bilhões que o mercado de agrotóxico movimentou no país no ano passado.

No Brasil, o registro de um agrotóxico é eterno. A reavaliação toxológica ocorre quando novos estudos apontam o perigo que esses produtos podem trazer à saúde. A reavaliação dessas 14 substâncias estava prevista na Agenda Regulatória da Anvisa desde 2007, mas uma série de ações judiciais impetradas pela indústria do agrotóxico em 2008 impediram o processo. O Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Defesa Agrícola (Sindag), por exemplo, entrou na Justiça para conseguir a suspensão da reavaliação de nove ingredientes ativos.

Com o apoio do Conselho Nacional de Saúde e da AdvogaciaGeral da União, a Anvisa conseguiu recentemente reverter as decisões judiciais para reavaliar as substâncias, mas ao contrário do previsto, não foi possível finalizá-las até junho. Até o momento, apenas a cihexatina será retirada do mercado brasileiro. O produto deve estar banido até novembro de 2011.

Ferramenta

Por meio de nota, o setor de agroquímicos, representado pelas entidades Andef, Andav, Sindag, Abifina e Aenda, admitiu que o instituto da reavaliação é condição essencial para que a sociedade possa se beneficiar, com segurança toxicológica, ambiental e agronômica, do uso dessa tecnologia como ferramenta para a produção agrícola brasileira. Mas que no Brasil esse processo tem sido realizado com “imperfeições que implicam a perda de qualidade”. Entre as mais evidentes, o setor cita que a Anvisa, ao relacionar as 14 substâncias a serem reavaliadas, não atendeu a nenhum dos requisitos previstos no Decreto 4074 que trata da reavaliação de produtos. E que os documentos que embasaram as reavaliações deveriam ficar à disposição dos interessados, o que não ocorre.

O uso desses produtos é responsável por uma forte incidência de câncer. Precisamos proteger a população – Simão Pedro deputado estadual (PT-SP)

EcoDebate, em 02/09/2009

Sunday, August 23, 2009

O que vem por aí...


Novos vírus, bactérias, novas doenças... eles surgirão pela mão do homem: seja pela criação em laboratórios para vender depois o remédio, seja pela falta de higiene, pela superpopulação, pelo uso indiscriminado de antibióticos e excesso de cirurgias (que já desenvolveram uma superbactéria em hospitais - ninguém falou mais nelas, não?).

Nós, seres humanos, somos responsáveis, de uma forma ou de outra, por essas modificações.

Somos coadjuvantes:

Ao tomar antibióticos sem receita médica.
Ao tomar inúmeras e desnecessárias vacinas.
Ao não manter uma alimentação equilibrada e ajudarmos a indústria alimentícia a fabricar cada vez mais porcarias tóxicas - se há mercado, há produção.
Ao criar uma quantidade imensa de lixo, que não temos mais como descartar; ele já faz parte do nosso meio ambiente.
Ao não manter uma higiene básica (tem gente que passou a lavar as mãos assiduamente, só depois dos alertas sobre a Gripe A).
Ao entregar nossa saúde nas mãos de terceiros e não sermos, nós mesmos, responsáveis por ela.

Viver trabalhando


Se você trabalha para viver, porque se mata trabalhando?

Thursday, August 13, 2009

Opressão dos militares na Birmânia



A Prêmio Nobel da Paz e ícone pró-democracia da Birmânia, Aung San Suu Kyi foi sentenciada esta semana a mais um ano e meio de prisão.


"O caso da Aung San Suu Kyi é só uma fração da brutalidade do regime militar da Birmânia: são 40 anos de assassinatos, tortura, estupro em massa e trabalho escravo.

Chegou a hora de levarmos os generais da Birmânia ao tribunal.
A Avaaz está lançando um chamado para o Conselho de Segurança da ONU pedindo a investigação da junta militar por crimes contra a humanidade.
Um veredicto culpado poderá indiciar generais de alto escalão, deixando claro para a junta que eles não ficarão impunes pelas atrocidades que cometeram."

Clique abaixo para assinar a petição e ver o banner que será colocado na frente da ONU:

http://www.avaaz.org/po/jail_the_generals

PARTICIPEM!

Wednesday, August 5, 2009

Oportunismo calcado sobre o pânico



Já tem gente vendendo "Tamiflu batizado"...

Aqui em Porto Alegre/RS, vendedores ambulantes foram flagrados vendendo "10 unidades de Tamiflu por R$ 100,00", segundo a reportagem do Correio do Povo de hoje.

"Com o pagamento adiantado, um pacote plástico fechado, sem identificação, é entregue, em plena rua, sem dar tempo para que o comprador veja o conteúdo. Os golpistas pedem para que a compra seja "examinada" longe dali. E nessa troca de dinheiro por pacote, o comprador acaba pagando R$ 100,00 por antigripais ou analgésicos comuns. Também são vendidas cápsulas manipuladas, supostamente de Tamiflu, com alguns outro produto no interior e não o remédio para combater o vírus da Gripe A". (Combate, supostamente, não?)

Ao ler essa informação, a maioria deve pensar "Santa ignorância, Batman!", mas pessoas assustadas e levadas a acreditar que correm risco de morrer pela gripe, são capazes de fazer qualquer besteira...

Isso é tão perigoso quanto a suposta periculosidade desse vírus...

Tuesday, August 4, 2009

Se é para ter receio...



Se a questão é ficar apavorado a cada notícia de doenças disseminadas na aldeia global (leia-se nosso planeta), essa aqui põe a Gripe A no chinelo...

China tenta conter propagação de peste que já matou 3
Autoridades começaram a exterminar insetos e ratos para evitar disseminação de peste pneumôniaca


Agência Estado - Associated Press - 04/08/2009

PEQUIM - Autoridades chinesas começaram a exterminar ratos e insetos nesta terça-feira, 4, em uma tentativa de conter a disseminação de um surto de peste pneumônica que já matou três pessoas no noroeste do país, informou a secretaria local de saúde. A polícia estabeleceu postos de controle nos arredores de Ziketan, uma cidade de aproximadamente 10.000 habitantes na província de Qinghai, depois do surgimento dos primeiros casos, na quinta-feira. A terceira pessoa a morrer foi um homem de 64 anos identificado apenas como Danzhi, informou a agência de notícias Xinhua. Ele era vizinho das duas primeiras vítimas.

Equipes médicas estão desinfetando a cidade e matando roedores e insetos que podem transportar a bactéria, diz a página da secretaria local de saúde na internet. As autoridades chinesas estão acompanhando de perto as pessoas que tiveram contato com os infectados. Nove pessoas contaminadas estão isoladas em um hospital, de acordo com os dados da secretaria. A representação da Organização Mundial de Saúde (OMS) na China informou estar em contato com as autoridades locais e considerou adequadas as medidas adotadas até o momento: tratar e isolar as pessoas infectadas.

A peste pneumônica é uma infecção pulmonar altamente contagiosa, capaz de matar uma pessoa em menos de 24 horas se a doença não for tratada. Ela se espalha pelo ar e pode passar de pessoa para pessoa através da tosse, segundo a OMS. Ela é causada pela mesma bactéria que provoca a peste bubônica.
Mas, enquanto a peste bubônica pode ser tratada com antibióticos se houver diagnóstico precoce, a peste pneumônica é uma das mais mortíferas doenças infecciosas conhecidas. Na Idade Média, uma epidemia de peste provocou a morte de pelo menos 25 milhões de pessoas na Europa.

Então: excesso de população + falta de higiene + convivência descuidada com animais = criação e disseminação de doenças.

Como o mundo está cada vez mais superpovoado, essas notícias vão se tornar comuns - para não virarmos reféns do medo, temos que nos precaver; quem acompanha os textos do blog, já deve saber de cor do que se trata a prevenção...

Sunday, August 2, 2009

Finalmente, Cargill se rende à lei...


Cargill se rende à lei:
óleos de soja Liza e Veleiro são rotulados como
transgênicos


Cargill e Bunge ignoraram durante quatro anos a lei de rotulagem brasileira, que determina a rotulagem de todo produto que usa 1% ou mais de soja
transgênica.


Empresa segue os passos da Bunge e rotula as marcas Liza e Veleiro. Greenpeace fez denúncia da irregularidade em 2005.

Depois da Bunge rotular seu óleo Soya (veja foto abaixo), agora é a vez da Cargill anunciar que vai colocar o símbolo de transgênico em seus óleos de soja Liza e Veleiro, conforme determina a lei de rotulagem em vigor no Brasil desde 2004.


Ambas as empresas foram obrigadas a tomar a iniciativa por determinação da
Justiça, que aceitou ação civil pública do Ministério Público de São Paulo
exigindo a rotulagem. O MP-SP, por sua vez, se baseou em denúncia feita pelo
Greenpeace em 2005 que revelou como Cargill e Bunge desrespeitavam a lei e
os consumidores ao não informar sobre o uso de soja transgênica na
fabricação dos óleos.

De acordo com a lei, todos os produtos fabricados com mais de 1% de
organismos geneticamente modificados devem trazer essa informação no rótulo.
Isso vale mesmo para produtos como o óleo, a maionese e a margarina, em que
não é possível detectar o DNA transgênico.

"Após quatro anos da entrada em vigor da lei, e dois anos de nossa denúncia,
as empresas finalmente resolveram se adequar", afirmou Gabriela Vuolo,
coordenadora da campanha de Engenharia Genética do Greenpeace.

"Agora vamos continuar com a pressão para que tanto a Bunge como a Cargill
rotulem também outros produtos, como margarinas e maioneses, fabricadas com
a mesma soja transgênica. Só assim os brasileiros vão poder realmente
exercer seu direito de escolha, que é garantido por lei."

Fonte: Greenpeace Brasil.
Notícia veiculada em 31/01/2008

Demoraram a obedecer a lei, hein?
E isso é só a ponta do iceberg, há muita coisa para rotular ainda!
Mas com a lentidão com que o cumprimento das leis se move, ainda vamos engolir muita comida transgênica, sem ao menos ter conhecimento disso (um direito do
consumidor)... Essa notícia é do ano passado: quantos produtos você ficou sabendo que foram rotulados desde essa data?

Monday, July 27, 2009

Temporão acabou de informar...


... no programa do Jô:

No ano passado, morreram 4.500 pessoas de "gripe comum" no Brasil.
Os dados atuais de mortes pela gripe A no mundo são de 800 óbitos.

Dá para visualizar, através destas informações, que não existe pandemia e que qualquer gripe pode matar (principalmente, como ele também disse, idosos, crianças, gestantes, pessoas com problemas crônicos sérios, enfim pessoas com a imunidade baixa).

Também falou que o vírus encontra-se estável, o que é favorável à criação de uma vacina... preparem-se! Se for criada essa vacina, certamente, haverá uma vacinação em massa, devido ao pânico criado e não desfeito, apesar de todas as informações racionais.

Ponto para a indústria farmacêutica.

Thursday, July 23, 2009

Uma voltinha no Túnel do Tempo


"O Ministro da Saúde, José Gomes Temporão, disse hoje que os acidentes de trânsito são uma epidemia dramática no Brasil. A afirmação foi feita durante a instalação da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro.

Segundo ele, os acidentes de trânsito são a terceira causa de morte no país, perdendo para as doenças cardiovasculares e o câncer."(3/7/07)

http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2007/07/03/materia.2007-07-03.5331310147/view

A notícia já tem dois anos, mas para mim mostra que:

Epidemia é uma palavra usada vulgarmente e a toda hora.
E mais pessoas morrem em acidentes e de doenças crônicas do que por viroses...


"Segundo ele, nos próximos meses, a frente fará mobilizações nos estados e prefeituras para reverter a "escalada de morte" causada pelos acidentes. “Todos os dias, 100 brasileiros morrem em um acidente de carro. A apatia com esses números tem que acabar. Nós temos que nos revoltar, nos insurgir, agir para superar isso”.

Apesar das boas intenções, esses números aumentaram - e são superiores aos que morreram pela Gripe A (ou outras gripes).
Há problemas bem maiores do que essa gripe, que não estão obtendo solução (como o vício pelas drogas, por exemplo), muitas pessoas estão morrendo devido a eles, mas não vejo nenhum pânico e paranóia manifestando-se...

Saturday, July 18, 2009

A nova gripe e os velhos costumes


Esse artigo de autoria de Jaime Nudilemon Chatkin (Promotor de Justiça de Defesa Comunitária em Pelotas/RS), é bastante realista e objetivo; foi publicado em ZH de 17/07/09.
Gostei imensamente dele (concordo com a linha de pensamento seguida) e por isso o reproduzo aqui, para que mais pessoas possam refletir sobre as palavras do autor.


"Aumentam os casos de gripe suína em todo o mundo, amedrontando populações e trazendo prejuízos financeiros de vulto às economias dos locais afetados.

A letalidade do vírus, por sorte (e nada mais do que isso), parece ser baixa, prevendo-se um número não muito elevado de vítimas fatais da doença.

Observa-se que o descobrimento da vacina é esperado como a solução definitiva para o problema.

Mas será mesmo?

É como se alguém encontrasse um vazamento de água em sua casa e determinasse, para solucionar a questão, que toda a mobília fosse imediatamente impermeabilizada.

Mas as causas do vazamento não foram de modo algum combatidas.

Creio que a comparação se mostra adequada.

É claro que a vacina é importante e poderá salvar muitas vidas, mas a pergunta que se impõe é o que foi ou será feito para evitar que a aparição desse tipo de ameaça seja recorrente na sociedade (lembre-se dos recentes casos da vaca louca e da gripe aviária).

As causas do aparecimento da gripe suína podem com certeza ser desvendadas, e já existiam estudos, mesmo antes da pandemia, que indicavam que o confinamento de um grande número de animais em fazendas industriais propicia um meio adequado para o surgimento e mutação de vírus potencialmente nocivos ao ser humano.

Fazendas industriais, para quem não sabe, foi o modo que o agronegócio sem preocupações éticas encontrou para aumentar a produtividade na criação de animais, confinando um número cada vez maior deles em espaços cada vez menores e cruéis, tudo em nome do aumento do lucro, sem importar o sofrimento dos seres vivos ali tratados como mercadoria e com os danos ambientais causados por esse tipo de aglomeração.

A propósito, sabe-se que no México, país onde surgiram os primeiros casos de gripe suína, existem inúmeras dessas fazendas para fornecer carne suína, principalmente à população norte-americana, em virtude de acordos comerciais.

Mas o que será feito de concreto a respeito dessas granjas, verdadeiras aberrações éticas do sistema capitalista?

Como era de se esperar, nada.

Ao contrário, rebatiza-se o vírus para não atrapalhar os negócios e se joga toda esperança na grande vacina, fazendo reféns da indústria farmacêutica um sem número de governos.

Em suma, seguindo-se a cartilha do mais puro capitalismo, a pandemia gerará crescimento para o dinheiro de alguns poucos, em detrimento do dinheiro de muitos e das verbas públicas.

E nada, absolutamente nada será feito para atacar as causas de um problema que, em um futuro retorno, poderá surgir de forma mais agressiva e devastadora."

Monday, July 13, 2009

Acompanhando a novela do "lixo importado"



ESSE POST ESTÁ SENDO ATUALIZADO À MEDIDA QUE SURGEM NOVAS INFORMAÇÕES.

Sabia-se que lixo europeu era descartado em países africanos - agora também estamos recebendo esse "presentinho".

Como a patifaria começou: http://foradomanual.blogspot.com/2009/06/lata-de-lixo.html

Atualizando: "Até o momento, as investigações apontam que o lixo foi enviado por uma exportadora inglesa. O material levado a Rio Grande tinha como destino uma empresa de Bento Gonçalves. Cinco empresas (quatro com sede no Rio Grande do Sul e uma em São Paulo) importaram o lixo. Cada uma foi autuada em R$ 408,8 mil pelo Ibama. A legislação aduaneira também prevê a possibilidade de pena de perdimento - além da falsa declaração de conteúdo, a mercadoria pode trazer prejuízos à saúde.

As investigações da Polícia Federal também apuram que benefícios as empresas teriam em trazer a carga ao Brasil. Os europeus vêm enfrentando defasagem em seus depósitos e começaram a enviar o lixo para outros países. Em contrapartida, os importadores também lucram."
ZH - 08/07/09

"Autoridades gaúchas vão pedir que o Brasil acione a Grã-Bretanha para desvendar o que classificam de crime ambiental.
(...) O chefe da Delegacia de Polícia Federal em Rio Grande, João Manoel Vieira Filho, solicitará o apoio da Divisão de Meio Ambiente da PF, em Brasília. Ele e a Procuradora da República em Rio Grande, Anelise Becker, que pediu a ação do Ministério das Relações Exteriores, querem colaboração mundial.
(...) Vieira Filho investiga se a empresa exportadora da Inglaterra, que enviou a carga, aproveitou-se de um negócio aparentemente legal para descartar lixo inaproveitável no sul do Brasil. O delegado também vai apurar se a empresa gaúcha que importou a carga, a Alfatech, de Bento Gonçalves, está envolvida na operação de transformar o Estado em lixeira dos britânicos."
ZH - 10/07/09

Empresa britânica nega ter enviado lixo ao Brasil

UTI World Wide se disse surpresa com exportação de 1.098 toneladas de resíduos domésticos ao país


A empresa apontada como sendo a exportadora de 1.098 toneladas de lixo para os portos de Rio Grande e Santos (SP), a UTI World Wide, estabelecida na Inglaterra, disse ontem que desconhece o episódio. Os resíduos foram enviados em 64 contêineres, entre fevereiro e maio, como se fossem polímeros de etileno (aparas plásticas) para reciclagem.

Zero Hora entrevistou o diretor de cargas marítimas da UTI World Wide, David Hughes, do escritório central da empresa na Grã-Bretanha, com sede na cidade de Reading. Mostrando-se surpreso, Hughes disse que não lembrava de ter fechado negócio com a indústria gaúcha Alfatech, de Bento Gonçalves. Observou que teria de pesquisar na contabilidade da empresa, devido ao grande volume de transações pelo mundo. Mas assegurou que a UTI World Wide não embarca lixo doméstico.

– Nunca ouvi falar disso. É comum o transporte marítimo de metal, papel e plástico, mas não lixo doméstico – afirmou.

A UTI World Wide é uma empresa de logística, com escritórios em diversos países, inclusive no Brasil. Oferece serviços de importação, exportação e transporte de cargas, por via aérea, marítima e terrestre.
ZH - 11/07/09

Vamos acompanhando o desenrolar dessa novela e verificar se vai ficar no esquecimento e acabar em nada, como tantas outras...

Atualizando 2: Empresa que importou lixo da Inglaterra fecha

A empresa que recebeu 1.098 toneladas de lixo doméstico exportadas da Inglaterra, a Alfatech Ltda., de Bento Gonçalves (RS), encerrou as atividades ontem.
Dizendo-se vítima de um golpe, o empresário Arildo Falcade Júnior, anunciou que não pôde mais continuar como reciclador e fabricante de produtos plásticos.
Fechou as portas e demitiu 22 dos 25 funcionários.
ZH - 15/07/09

O empresário assegura que levou um trote dos britânicos. Conta que fez uma compra inicial em que recebeu 16 contêiners (150 t) de aparas de plástico, conforme combinado e ao fechar o segundo negócio, foi surpreendido pela chegada do lixo.
O dono da Alfatech garante que importou aparas de plástico e não embalagens de talco, frascos de xampu e detergente, bambonas, garrafas pet, fraldas usadas, cabides quebrados, luvas, tapetes rasgados, tampa de sanitário e outros rejeitos domésticos.

Pela repercussão negativa do episódio, a empresa perdeu clientes e tem sido xingada pela vizinhança indignada com a situação. A PF de Rio Grande está investigando se, realmente, a Alfatech foi enganada...

Greenpeace faz alerta

O diretor-executivo do Greenpeace Brasil, Marcelo Furtado, entrevistado por ZH, lembrou que países ricos costumam enviar seus rejeitos para regiões pobres da África, América do Sul e Ásia, num triângulo de conivências entre exportador, transportador e importador.

Diz ele: "É mais barato, para eles, mandar esse lixo de navio do que providenciar o seu destino no país de origem".

Furtado ressaltou que o Brasil deve devolver imediatamente as 1.098 toneladas de lixo para a Inglaterra: "Se isso não der em nada, vai ficar a mensagem de que o Brasil é um bom destino para o lixo dos ricos. O Brasil precisa mostrar que esse tipo de comércio não é tolerado".

Atenção: divulgaram nome errado da empresa da Inglaterra que teria enviado o lixo!

ZH de hoje (18/07/09) faz uma correção importantíssima: o nome da empresa britânica não é UTi Worldwide, mas Worldwide Biorecyclabes Ltda.

E mais: O responsável por enviar os 89 contêiners com lixo doméstico para os portos de Rio Grande e Santos seria o brasileiro Julio Cesar Rando da Costa, que mora em Swindon, na Grã-Bretanha!
A BBC noticiou que ele é o fundador da Worldwide Biorecyclabes Ltda. e da UK Multiplas Recycling Ltda.; Rando da Costa defendeu-se das acusações dizendo que "a responsabilidade pelo lixo remetido ao Brasil é de fornecedores britânicos com os quais suas empresas trabalham". Afirmou que faz a prensagem do plástico recolhido por empresas inglesas e exporta a sucata para recicladoras brasileiras.

Nossa, que batata quente! Um fica jogando para o outro, ninguém quer segurar essa bomba na mão!



Atualizando 3: A mídia informou que foram feitas três prisões no Reino Unido, mas os nomes dos detidos não foram ainda revelados.

O Presidente Lula criticou o fato de o lixo ter sido enviado para o Brasil por países europeus, dizendo: "Eles, que são tão limpos e querem despoluir tanto, mandam para cá contêiners de lixo dizendo que é para reciclagem. Quem vai reciclar lixo hospitalar, pegar uma seringa, reciclar e aplicar de novo?" (conforme dados do Correio do Povo - 24/7/09)

Ok, Presidente, concordo com o senhor, mas conforme o que foi divulgado até agora, só há BRASILEIROS envolvidos na falcatrua: o dono da empresa européia que exportou é BRASILEIRO e a empresa que importou também só tem BRASILEIROS nas suas fileiras...

Atualizando 4: O lixo ruma, definitivamente, para o Porto de Felixtowe, na Inglaterra. O destinatário, entretanto, é desconhecido pelo Ibama, que afirmou à Folha Online: "Cabe às autoridades de lá definirem".
Os 41 contêineres no porto de Santos foram juntados a outros 40 provenientes do Rio Grande do Sul, em um total de 1.477 toneladas e enviados - 8 contêiners de Caxias do Sul ainda permanecem no país. (agosto de 2009)

Ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc:
"O Brasil não será a lata de lixo do planeta".


Resta a confirmação de que o lixo chegou, realmente, ao seu destino e quem foi recebê-lo no porto... Sou desconfiada? Tenho assistido a muitas encenações e não foram interpretadas em palcos de teatro nem em telas de cinema...

Wednesday, July 8, 2009

Ministério da Agricultura pode recolher cartilha sobre orgânicos


Depois de publicar uma cartilha explicando o que são os produtos agrícolas orgânicos e suas vantagens, o Ministério da Agricultura poderá mandar recolher o material. Contudo, não há incorreção nos 620 mil exemplares da primeira edição.
A cartilha dos orgânicos está por ser recolhida porque a Monsanto moveu uma ação contra o Ministério alegando sobre o texto da página 07 da publicação: ilustrada pelo famoso cartunista Ziraldo, o texto diz claramente que os agrotóxicos são perigosos à saúde e que os transgênicos colocam em risco a agrobiodiversidade.

A razão desse ato, de acordo com a interpretação de entidades que acompanham a questão, é que os setores do Ministério mais ligados ao agronegócio não ficaram contentes com informações na cartilha.
Os rumores são de que a Câmara Temática de Insumos Agropecuários do Ministério não aceitou a publicação e poderá mandar recolher a fim de suprimir estas informações.

A cartilha ainda está online no site do Ministério, conforme informou o boletim da Campanha por um Brasil Livre de Transgênicos. Pode ser lida no seguinte endereço:

http://www.aba-agroecologia.org.br/aba2/images/pdf/cartilha_ziraldo.pdf

e se chama “Produtos orgânicos – O Olho do Consumidor”.

Divulgado por: João Rockett
Permacultor - Consultor em designer em sistemas sustentáveis
e-mail: rockett@ipep.org.br

Atenção: tive que trocar o link original, pois não estava mais respondendo (fui alertada por uma leitora). Agora, está ok, mas não é mais um link do Ministério da Agricultura...




A cartilha é muito boa, salvem uma cópia!
vejam o texto que foi criticado pela Monsanto:


5) O agricultor orgânico
não cultiva transgênicos
porque não quer colocar
em risco a diversidade
de variedades que
existem na natureza.
Transgênicos são plantas
e animais onde o homem
coloca genes tomados
de outras espécies.

E tem uma outra coisa muito importante que faz
um produto ser orgânico...

É proibido usar AGROTÓXICOS e outras
substâncias sintéticas que possam contaminar
o alimento ou o meio ambiente.
Isso é bom porque, dessa maneira,
esses produtos tóxicos, verdadeiros venenos,
não entram no organismo das pessoas que
produzem e consomem os produtos orgânicos.
A SAÚDE EM PRIMEIRO LUGAR!


*********************

A Monsanto e os produtores de agrotóxicos não devem ter gostado mesmo!

*********************

Atualizando:

Segundo o blog do Greenpeace: "A distribuição da cartilha foi suspensa e a orientação agora é recolher o material que ainda está em caixas e substituir o texto da página 7 - provavelmente para aliviar a barra dos transgênicos."

Atualizando 2:

MAPA diz que a Monsanto não tentou interferir no texto da cartilha, afirmando que a questão "foi um boato"
- até pode ser que essas explicações do Ministério da Agricultura sejam verdadeiras, mas penso ter sido muita coincidência que assim que o "boato" começou a circular, o link desapareceu do site deles, devido a uma providencial reformulação... talvez tenha havido outra pressão mais forte do que a da Monsanto e as cartilhas foram liberadas - como a história vazou, deixaram o sim pelo não. E essas explicações de RP do governo ou de empresas não me descem facilmente pela garganta - a forma mais tosca que eles encontram para explicar-se é de que "foi só um boato"...

De qualquer forma, há muitos links para baixar a cartilha original e não corremos o perigo de perdê-la, não?
E se realmente "foi um boato", ele ajudou bastante na divulgação da cartilha...


No final, o feitiço virou contra o feiticeiro!



Resposta da MONSANTO à questão:

Monsanto divulga nota sobre cartilha educativa

Nos últimos dias, têm circulado pela Internet boatos de que a Monsanto teria entrado como uma ação judicial contra uma campanha educativa coordenada pelo MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) sobre os benefícios de alimentos livres de agrotóxicos.

A empresa esclarece que essa informação não procede, que desconhece sua origem e, ainda, reafirma o respeito pela liberdade de opinião, expressão e escolha do mercado, instituições e empresas pela utilização de culturas convencionais, geneticamente modificadas ou orgânicas.

A Monsanto se orgulha de ser líder em biotecnologia agrícola e acredita profundamente nos benefícios das culturas geneticamente modificadas, que têm potencial para ajudar a aumentar a produção de alimentos, com menos recursos naturais e, ainda, melhorar a vida de agricultores em todo o mundo.


Fonte:
http://www.e-campo.com.br/Conteudo/Noticias/VisNoticias.aspx?ch_top=2729&Painel=1&

Então, tá...

Saturday, July 4, 2009

Globo Repórter sobre grãos e sementes



O Globo Repórter continua com sua série de programas sobre alimentação e algumas informações são bem-vindas, mas outras, creio que poderiamos continuar muito bem sem elas.

No programa de ontem, sexta-feira, "descobrimos" que o pãozinho feito de farinha branca é totalmente inútil do ponto de vista nutricional e que devemos comer pães feitos com farinha integral, ou seja, com todo o aproveitamento do grão.
A nutricionista informou que os pães integrais existentes no mercado são feitos com farinha branca adicionada de farelo, que não contém o germe do trigo nem a casca.
Realmente, alguns são feitos dessa forma, mas existem muitos feitos com a "farinha de trigo completa".

Até aí, só choveram no molhado.

Depois, nos "revelaram" que ao cozinharmos com muita água perdemos os nutrientes nela - informação bem arcaica, aliás.
Mas o pior foi o método apresentado para o cozimento que preservaria os nutrientes, embrulhar o alimento em papel alumínio e deixá-lo por horas no forno.
PAPEL ALUMÍNIO? Sabemos que a "ciência" ainda não admitiu totalmente os malefícios do alumínio à nossa saúde (com o lobby da indústria que utiliza esse metal, vai ser difícil), mas quem não se deixa enganar sabe que o hidróxido de fosfato de alumínio desprende-se das panelas no aquecimento, o que certamente acontece com esse papel, ao ser aquecido por muito tempo em contato com a comida.

Mais detalhes sobre o alumínio:
http://cozinhanatureba.blogspot.com/2009/06/mais-sobre-o-aluminio.html

*****************

Depois chamaram o amaranto de "feijão", esquecendo de dizer que ele é um "pseudo-cereal":
http://cozinhanatureba.blogspot.com/2009/04/amaranto.html

*****************

Também não citaram o seu alto preço (assim como da quinoa, ambos alimentos excelentes mas distantes do poder aquisitivo da maioria dos brasileiros).

E finalizando um "especialista alerta: é hora de consumir alimentos mais integrais" - quem decidiu tirar todos os nutrientes dos grãos para nosso consumo, foi a indústria alimentícia, dando o melhor desses grãos para os porcos e o gado.
Há quantos anos isso é denunciado?



Mas sendo dito por "cientistas e engenheiros de alimentos", então podemos, finalmente, acreditar!


Apesar de que eles próprios se contradizem, nos deixando confusos:

"As panelas de alumínio, incluindo aqui o tão utilizado papel-alumínio, pela liberação de material inorgânico para os alimentos, deve ser utilizada com menor freqüência e com os cuidados necessários para evitar o atrito entre utensílios."

Dra. Marlise Potrick Stefani
(Professora do Curso de Nutrição da FEEVALE, Nutricionista, Especialista em Qualidade pela UNISINOS, Mestre em Ergonomia pela UFRGS, Consultora pela Nutritécnica há 14 anos)
Fonte: http://www.nutritecnica.com.br/index_.php?on=art_panelas

Saturday, June 27, 2009

Lata-de-lixo


Há muito já somos um dos países que serve de lixeira para o Primeiro Mundo enviar produtos obsoletos: vacinas com thimerosal, tecnologia ultrapassada, brinquedos perigosos, alimentos tóxicos, remédios vencidos, enfim, toda a sorte de mercadorias que os "ricos" descartaram e têm a cara-de-pau de comercializar com os mais "pobres".

Nada demais, muitos dirão, regras do capitalismo selvagem... Muitos nem acreditam que isso seja feito, que as pessoas não possam ser tão cruéis e insensíveis ao ponto de vender lixo para seus semelhantes (se considerarmos que somos todos seres humanos...).

Mas a falta de escrúpulos ultrapassa todos os limites da razão e da emoção, quando importamos lixo, literalmente falando: caixas metálicas contendo banheiros químicos prensados, preservativos, seringas, cartelas de remédios, pilhas, baterias e material orgânico.
Mais: tambores com brinquedos estragados e sujos, acompanhados de um singelo bilhetinho pedindo para que sejam entregues às crianças pobres do Brasil e com a orientação "favor lavar antes de usar".


Essa "mercadoria" (740 toneladas de lixo acondicionado em 40 contêiners) chegou ao porto de Rio Grande, importada por uma empresa de Bento Gonçalves, descrita como "polímeros de etileno para reciclagem" e vinda do porto Felixtowe, da Inglaterra. Também descobriram em Caxias do Sul, no Porto Seco da Serra gaúcha, mais 8 contêiners com mercadoria descrita na nota que não confere com o recebido e 16 contêiners com o mesmo problema no Porto de Santos (SP).

Citaram a existência de uma "máfia" na Europa, que estaria desviando lixo para outras nações e, naturalmente, com envolvimento de brasileiros, pois alguém tem que ser responsável pelo recebimento da carga.
Agora a briga é burocrática: vai ocorrer a devolução do "presentinho europeu"?
Vemos os envolvidos agarrando-se na legislação, cada um querendo tirar o seu da reta.

E tudo isso foi descoberto devido a uma denúncia anônima feita à Receita Federal... o que nos faz conjecturar se esse procedimento já não é antigo, mas vazou devido a obra de um alcaguete.

Que tristeza... não há mais nada que seja alvo de respeito ou dignidade...

Sunday, June 21, 2009

Déjà vu


Selecionei esse texto dos meus arquivos para que percebam a similaridade com o atual alerta de pandemia - ele foi escrito em março de 2006, na Isto É online; onde lê-se gripe aviária leia-se gripe suína.

Verão que a conversa é a mesma... assim como os procedimentos.

"Pandemia que ameaça matar 50 milhões de pessoas deve se espalhar em 18 meses.
No Brasil, vírus chega em setembro."

Essa frase é até engraçada; será que reservaram passagem aérea com data marcada para ele vir do exterior até nós? hehehehe

(...) E nos seus sinais, há características típicas de uma pandemia - espécie de epidemia global, sem fronteiras e generalizada, que além de matar, poderá levar, no extremo, o planeta ao caos socioeconômico.
O mundo já passou por uma epidemia de gripe em 1918, a tragicamente famosa gripe espanhola. Essa pandemia de agora pode ser ainda mais catastrófica.
(...) "A pandemia de uma gripe virá e a medicina não sabe como combatê-la. Virá em poucos meses. Isso é certeza, disse a ISTO É, Michael Ostherholm, diretor do Centro de Pesquisas sobre Doenças Infecciosas e professor da Escola de Medicina da Universidade de Minnesota. Soma-se á sua voz a do secretário-geral da ONU, Kofi Annan: "Quando ocorrer a primeira transmissão homem para homem, teremos apenas algumas semanas para evitar a sua disseminação. Milhares de pessoas morrerão, os sistemas de saúde ficarão sobrecarregados, famílias serão dizimadas, transportes e comércio serão interrompidos, o progresso econômico e social regredirá. É a isso que se chama pandemia".

*********

Atenção, isso foi dito em 2006 e a gripe era a aviária!

*********

Continuando:

(...) O Brasil, como o resto mundo, não tem a princípio qualquer estrutura para enfrentar uma onda pandêmica. O governo federal comprou 90 milhões de doses de Tamiflu, até agora o único medicamento disponível contra o vírus da gripe aviária, mas que nem sempre atua com eficácia.

Se entendi bem...

O Brasil já havia comprado em 2006 um estoque enorme de Tamiflu e não tivemos problemas com a gripe aviária (ela não chegou em setembro...), logo o Tamiflu ficou guardado, esperando usuários; porque compramos novamente uma quantidade enorme desse medicamento, com a expectativa de uma nova pandemia (a suína), se já tínhamos em estoque (da aviária)?

Em frente:

(...) Pouco antes do Carnaval, o governador de Santa Catarina, Luiz Henrique, interpelou pessoalmente o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues: "Quando é que vocês vão tratar a ameaça dessa pandemia como uma questão de segurança nacional? Precisamos ser mais ágeis ou seremos vítimas de uma catástrofe social sem precedentes." Santa Catarina é sede das maiores agroindústrias brasileiras, responsáveis por 60% do mercado interno e 70% das exportações.
A preocupação não era com a saúde da população, mas com os negócios...

(...) Transmitido ao homem através das aves contaminadas, o H5N1 é ápenas um dos vírus de gripe que compõem o amplo e diversificado leque do vírus Influenza - assim chamado porque se acreditava, na época do fundador da medicina, Hipócrates (nasceu na Grécia em 460 a. C.), que a gripe era uma "influência dos espíritos".
Saliente-se que a expressão "fundador da medicina" está incorreta - Hipócrates foi fundador da medicina OCIDENTAL - a ORIENTAL, nessa época já estava anciã, de barbas brancas...
Tanto as aves quanto os homens se infectam, principalmente se entrarem em contato com fezes e secreções contaminadas, pastos, estercos, rações e bebedouros que estejam infectados ou se comerem ave doente. Detalhe: numa ave infectada, o vírus aviário morre em até 3 horas se ela for cozida a 56 graus centígrados, morre em até meia hora se for cozida a 60 graus, mas dura até um mês na ave congelada - ou seja podem comer aves se tais cautelas forem tomadas (o ideal é fervê-la, isto é, submetê-las a 100 graus centígrados).
Outros cuidados:
lavar as mãos com sabonete frequentemente, tomar a vacina contra a gripe comum (propaganda enganosa), evitar aglomerações (atitude nada fácil quando se vive num mundo superpovoado...).

Mas, instaurada uma pandemia, essas providências serão paliativas.
"Ocorrendo uma mutação genética no vírus, se dará a transmissão de ser humano para ser humano, o que poderá detonar uma pandemia", diz o virologista Celso Granato, professor de infectologia da Universidade Federal de São Paulo. Assim, se ocorrerem tais mutações (o risco é altíssimo porque diversos vírus Influenza mudam geneticamente), aí o vírus aviário será transmitido também pelo ar, da mesma forma que se transmite o vírus da gripe comum. A diferença é que o H5N1 é infinitamente mais lesivo ao organismo humano, atingindo rapidamente diversos órgãos, como pulmões, rins, estômago e intestino. (...) Não estamos preparados para uma pandemia que está chegando. Para se proteger, os EUA têm estocados dez milhões de doses de Tamiflu, até agora o único capaz de agir, ou pelo menos, tentar agir, contra a gripe aviária. (...) Nada se sabe, porém, se ele será eficaz no caso de uma pandemia, mesmo porque nela, o vírus já sofreu mutações. (...) Mas há quem diga que em seu território, um rigoroso trabalho de desenvolvimento e armazenamento de novos remédios se dá sob sigilo de Estado e até cavernas estariam virando laboratórios em nome da segurança de seus cidadãos.

Já temos vacinas quentinhas saindo do forno...
Quem se habilita?


Não esqueçam de substituir, na leitura, o nome dos bichos: galinha (2006) vira porco(2009).

Friday, June 19, 2009

Amanhã é dia do Zé Gotinha...


Pólio oral Sabin(OPV)
Vírus vivo atenuado, cultivado em células de rins de macacos.
Reações: anafilaxia, S Guillan Barré, asma, S de West, miopatias, polineurites, poliomilite vacinal


A paralisia infantil tornou-se rara no mundo ocidental, onde existem mais casos de pólio provocados pelas vacinações que pela própria doença.
O vírus atenuado pode sofrer mudanças no organismo, sendo eliminado como germe contagioso pelas fezes por até 8 semanas, causando paralisia pelo vírus vacinal, motivo pelo qual a Sabin foi substituída pela Salk (injeção de vírus mortos) desde 1998, na maioria dos países europeus e americanos.



A OMS não recomenda a vacina oral em regiões onde ocorreu a erradicação da doença e os reservatórios de vírus da pólio estejam sob controle, mas seguir essa recomendação pode ter um risco muito alto.

A dose da vacina oral custa em torno de US$ 0,03 e a dose de Salk US$ 2,50, o que leva a política de imunização nos países pobres a avaliarem mais os aspectos financeiros que os médicos.

Referência desse trecho do trabalho:
XIAOFENG L e al. An outbreak of poliomyelitis caused by type 1 vaccine-derived poliovirus in China. Jour Infec Dis 2006 sept; 194 (5):545-551

Trabalho de revisão "Vacinas: uma postura homeopática" - Dra. Liliane Maria Schuch de Azambuja - Médica formada pela PUCRS, especialista em Pediatria e Homeopatia, docente do curso de especialização em homeopatia para médicos da Fundação Centro Gaúcho de Estudos e Pesquisa em Homeopatia - CEGEPH, vinculada a SGH.

Thursday, June 18, 2009

Jornalismo sem diploma


Folha Online - 17/06/09

Por 8 a 1, o STF (Supremo Tribunal Federal) derrubou hoje a obrigatoriedade do diploma para o exercício da profissão de jornalista. Só o ministro Marco Aurélio Mello votou pela manutenção do diploma.

O presidente da ABI (Associação Brasileira de Imprensa), Maurício Azêdo, criticou a decisão. "A ABI lamenta e considera que esta decisão expõe os jornalistas a riscos e fragilidades e entra em choque com o texto constitucional e a aspiração de implantação efetiva de um Estado Democrático de Direito, como prescrito na Carta de 1988", disse ele em nota.

Na nota, Azêdo diz esperar que a Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas) recorra ao Congresso Nacional para "restabelecer aquilo que o Supremo está sonegando à sociedade, que é um jornalismo feito com competência técnica, alto sentido cultural e ético".

Ele informa que a ABI organizou o 1º Congresso Brasileiro de Jornalistas em 1918 e aprovou "como uma das teses principais a necessidade de que os jornalistas tivessem formação de nível universitário".


Concordo que um diploma não garante que o profissional seja eficiente...
... que tirar A em todas as provas não garante que você seja um gênio...
... que muitas escolas de nível superior são de baixa qualidade...
... que o ensino superior tem várias deficiências...
... que passar no vestibular não demonstra que você domina determinados conhecimentos...
... que há pessoas sem diploma que são mais competentes do que muitas que o possuem...

Há muitos outros argumentos que poderíamos incluir nessa lista; se seguirmos essa lógica simplista, todos os diplomas de todas as profissões deveriam ser eliminados!

Logo, a argumentação do Supremo é altamente abusiva e manipuladora - me sinto vivendo em clima de ditadura!

Não foram os quatro anos de faculdade que me transformaram numa jornalista, não foi na faculdade que aprendi a discernir, a ler, a escrever, a questionar, a observar os dois lados de uma questão e a ser honesta - considero o curso que fiz fraquíssimo (mesmo sendo considerado o melhor, na época) e com altas mensalidades, mas o diploma era necessário para poder exercer a profissão, mesmo sabendo que muitos a exerciam sem tê-lo! E havia um mínimo de controle de qualidade...

Mídia atrelada ao empresariado - agora liberou geral!

Qualquer empresário da área da comunicação pode contratar seus marionetes para articularem suas falas prefabricadas e editadas, sem preocupação com o aval de ninguém (controle de qualidade zero)!