Tuesday, July 15, 2008

TOMA LÁ, DÁ CÁ


TOMÁ LÁ, DÁ CÁ

Hoje à tarde peguei alguns livros que não me serviam mais, mas pelos quais paguei bem caro e dei uma volta pelos sebos, para vendê-los.

Sim, já sabia que quando algum artigo sai das prateleiras da loja, perde metade do seu valor de mercado. Porém não esperava tanta desvalorização, ao ver o que me ofereceram e também já sabendo que o comprador iria colocar 300% ou mais de lucro em cima do preço que pretendia me cobrar.

Ou seja, somos enganados diariamente, na qualidade da comida que comemos, nos serviços que nos prestam, na prática médica que nos ministram, enfim, chegamos ao ponto de viver em uma sociedade (por nós mesmos criada, é verdade), em que não temos uma troca honesta de necessidades (tão raro isso acontecer...).

Saí indignada do sebo, com meus livros guardados de volta na sacola (não sem antes ouvir um "moça, é uma boa oferta que está perdendo"), soando passos fortes pela calçada e trocando idéias com meus botões.

A cada dia que passa, sinto com mais intensidade que devemos aprender a viver com nossas próprias pernas, dependendo o menos possível do grande sistema e criando bolsões nos locais onde moramos, desenvolvendo redes para compartilhar e trocar mercadorias, serviços, gentilezas, favores e cuidados, de uma forma menos agressiva e mais solidária. Por exemplo, comprando alimentos orgânicos de pequenos agrcultores, de fornecedores conhecidos, tendo certeza de que nosso investimento é seguro, em lugar de ir a supermercados cheios de comida industrializada e cara, por ter passado por tantas mãos e cada uma querendo tirar o seu quinhão, com garras afiadas.

Então, tive a idéia de criar, aqui onde moro, Porto Alegre/RS, a TOMA LÁ, DÁ CÁ, uma rede que inicia com a meta de alongar-se e com a função de estabelecer trocas entre pessoas que também estabelecerão vínculos, pois todo o comércio será um ato secundário, estimulado pelas relações desenvolvidas.

A princípio, faremos uma reunião, com os membros das minhas comunidades no orkut e leitores do blog moradores aqui em POA (ou nos arredores e cercanias) interessados em participar, para marcarmos data e lugar da primeira Feira Toma Lá Dá Cá, onde cada um levará artigos que desejar trocar ou vender, bem como serviços e talentos disponibilizados (por exemplo, hoje pego teu filho na escola e vc digita esse texto pra mim) e "qualquer acerto entre as partes" que surja.
Cada um fica responsável por suas transações, não haverão intermediários, administradores, câmbio, inflação ou juros.

A única regra é que não há regras: os acordos são individuais e baseados no que cada um julgar ser vantajoso na transação, isto é, não vale ficar decepcionado ou sentir-se enganado.

É fundamental que tenhamos essa primeira reunião para nos conhecermos, estabelecermos o contato direto que será a base do que virá depois, uma circulação de bens e serviços entre amigos.

Podem copiar a idéia, seria bom espalhá-la aos quatro ventos.

Quem quiser participar, por favor, deixe um post com e-mail e assim que tivermos alguns interessados, já poderemos marcar o encontro e verificar as possibilidades do local (seria legal uma garagem ou espaço de um dos participantes que iria sendo trocado em rodízio). E, claro, convidem amigos ou parentes, que a origem da coisa tem como primordial as pessoas e depois, os objetos e ações.

Em obras!

4 comments:

Green Womyn said...

Sabe o que é engraçado? Uma outra amiga falou sobre essa idéia da troca comigo na semana passada.

Estamos todas conectadas, é isso? (rs)

Linda a sua iniciativa, uma daquelas que devem ser copiadas!

Vera Falcão said...

Sim,estamos conectados e todos temos acesso ao inconsciente coletivo (uns chamam de registros akáshicos), uns mais facilmente outros de forma mais difícil ou rara, mas lá está o grande caldeirão de idéias e pensamentos do Universo. Algumas vezes uma idéia se torna mais preponderante e muitos, em sintonia, começam a acessá-la e transmiti-la. Essas trocas, vejo-as como uma necessidade que está se tornando urgente, pois o sistema econômico está abusando das pessoas e transformando os valores de maneira agressiva. Então, muitos estão querendo sair da Roda, nesse momento em que ela está em baixa e criar movimentos e gestos diferentes, que levem em conta primeiro as relações humanas e depois, a relação com os objetos.

Vamos copiar, espalhar, semear!
bjs

Silvia said...

Vera, tenho uma amiga que está vendendo os livros dela lá no site Estante Virtual, que reúne sebos de todo o país, e parece que também aceita que pessoas físicas façam seus perfis. De repente é jogo dar uma olhada, né?

Vera Falcão said...

Silvia, se for por um valor razoável, até dá para pensar a respeito... o que não dá é vc bancar a boba numa jogada de cartas marcadas.
Vou dar uma espiada.
Mas a Toma Lá Dá Cá é um projeto em que pretendo investir meu tempo e energia.