Monday, April 14, 2008

Encontro Brasileiro de Ufologia em Porto Alegre/RS - Parte 1


Realizado nos dias 12/13 de abril de 2008


Há muitos anos leio e estudo material sobre Ufologia.
Certamente, creio na existência de extraterrestres, pois seria muita arrogância e estreiteza mental, achar que somos a única raça inteligente e viva no Universo!
Somos poeira cósmica, fragmentos de um Todo infinito.
Não é poesia nem misticismo, é ciência.

Participei desse encontro: o meu primeiro Congresso Ufológico!

Dizem que a primeira vez de algum fato em nossas vidas é inesquecível; nesse caso, vai acontecer devido à emoção de encontrar face to face ícones do mundo ufológico e personagens lendários, além do prazer de trocar idéias e adquirir novos conhecimentos.

Cheguei cedo ao City Hotel, sentando na primeira fila de cadeiras.
As palestras de abertura, realizadas por participantes do GEPEA (Grupo de Estudos e Pesquisas Espaciais e Ambientais) - Daniel Conrado e Euclides Goulart Nunes Pereira - continham informações básicas, como uma cartilha, material direcionado aqueles que não possuem conhecimento algum sobre a pesquisa ufológica.
Como "macaca velha" no assunto, fiquei um tanto entediada, mas procurei cultivar a arte da paciência, já que nem todos ali estavam no mesmo nível de aprendizado.
O GEPEA é um grupo gaúcho que auxiliou na organização do evento; participei da sua primeira fase de existência, quando tinha outra denominação, mas não pude freqüentar assiduamente as reuniões e acabei abandonando-o. Como mostra a sigla, aumentou o alcance de seus estudos, ocupando-se também de questões ambientais, como alterações climáticas terrestres.

O terceiro conferencista, Carlos Odone da Costa Nunes, também participante do GEPEA, colocou como tema central de sua exposição, a proposta de que deve existir uma união entre Ciência e Espiritualidade (o místico e o científico) e que a partir dessa união, conseguiremos avançar na compreensão dos fenômenos ufológicos.
Essa idéia tem sido constante nos últimos anos, como podemos perceber no seguinte fragmento de texto:
"Já há alguns anos estamos insistindo com a Comunidade Ufológica Brasileira que é hora de se unir as correntes de pensamento sobre o Fenômeno UFO, desde que sejam reconhecidamente sérias.
É hora de deixarmos de lado, de uma vez por todas, a divisão que existe entre ufólogos com rótulo de "científicos" e aqueles intitulados "místicos".
A fenomenologia extraterrestre já provou diversas vezes que extrapola todos os limites da materialidade. Então, por que insistir em pesquisá-lo somente de uma forma e com um único enfoque?
Ciência sem mente aberta, sem horizonte em expansão, é ciência estagnada.
Misticismo cego, fanático e dogmático é misticismo vazio."
Carlos Alberto Millan - Revista UFO Nº 91


Reforçando: segundo Odone, "a compreensão do fenômeno UFO passa pelo desafio inadiável de se criar a comunidade científica e mística de Ufologia Contemporânea".



A seguir tivemos uma brilhante dissertação sobre Vestígios Ufológicos através dos Tempos, oferecida por Antonio Carlos Benite Lopes, com enfoque especial sobre os sumérios e as informações encontradas em plaquetas milenares, indicando que uma civilização extraterrestre instalou-se em nosso planeta e teria, inclusive, criado a raça humana através da genética e clonagem - cruzamentos entre os alienígenas e as espécies primatas. Esses gigantes teriam vindo do planeta Nibiru (ou Planeta X).
Fantástico para quem ainda não leu a respeito: esses relatos - e muitos outros - como os mapas de Piri Reis, podem ser observados no livro "Eram os Deusus Astronautas", de Erich von Däniken, aliás, leitura básica para neófitos.

A proposta união misticismo/ciência foi enfatizada pelo último palestrante da tarde sábado, Wagner Borges, através da temática - Experiências fora do corpo e a presença de seres extraterrestres.
O fato de viajarmos espiritualmente todas as noites, quando dormimos, foi tratado com naturalidade.
Wagner relatou que em suas viagens astrais encontra também seres extraterrestres, principalmente os do tipo Alfa (popularmente conhecidos como grays).
Observou que esses seres não são da cor cinza e maléficos, como reza a tradição, mas são de cor branca e auxiliam nos processos de cura e transição de formas espirituais. Ele sugere que os eles existem em várias cores (assim como nós somos brancos, pretos, amarelos etc.), o que colocaria por terra a idéia de que todos os Alfa são seres negativos.
Ele é um formidável contador de histórias, carismático e conseguiu seduzir completamente o público presente.
Palestras assim conseguem desmistificar e banalizar (de uma forma positiva) nossa dimensão espiritual, deixando até a questão da morte racionalizada.
Segundo ele, o medo de morrer é biológico, é aquele que preserva nossa vida.
Mas o medo da morte, é um medo construído sobre um arquétipo assustador, que nos faz temer a transição.

Fica no ar, nesse primeiro dia, a idéia de que unindo opostos encontraremos mais facilmente a chave de alguns mistérios.
Sou totalmente partidária dessa teoria.

São 20 horas e encerramos o encontro muito animados.
Amanhã cedo, tem mais.

Legenda das fotos:
*Wagner Borges, Daniel Conrado (de costas) e Euclides Goulart Nunes Pereira, conversam antes de uma das palestras.

**Ernesto Bono e José Victor Soares, figuras lendárias da pesquisa ufológica brasileira, num bate-papo informal com atentos fãs.

*** ETs infiltrados no evento.

2 comments:

Julia Pierri said...

Olá Vera,
algumas sugestões de filmes "fora do manual":
"Zeitgeist", documentário impressionante e que disseminou via internet, "Money as Debt", sobre o sistema moentário (escravizante), e o belíssimo "Na Natureza Selvagem", último filme do Sean Penn.
Você tem um belo blog. Até o nome define uma espécie de movimento coletivo que espero que se torne cada vez mais forte.
Um abraço
Julia Pierri

Vera Falcão said...

Julia, obrigada pelas dicas de filmes, não assisti a nenhum dos 3 então vou procurar fazê-lo...
Esse movimento vai se fortalecer à medida que as pessoas sentirem necessidade de procurar alternativas, já que o sistema vigente não está mais dando conta do recado.
Um abraço e agradeço a visita (volte mais vezes....).