Thursday, January 3, 2008

Duas caras


Calma, não fiquem assustados, não vou comentar a novela global das 9 horas...

Me refiro a uma situação que está se formando devagarinho, sorrateiramente, aos poucos tomando conta da midia e, por extensão, das nossas mentes.

Empresas e seus produtos notadamente nocivos à saúde, poluidores e visando o lucro em primeiríssimo lugar, estão criando com a maior cara-de-pau uma pesada maquiagem com predominância de tons de verde, tendo a finalidade de mascarar e/ou esconder seus atos sob o rótulo de defensores ecológicos.

Por exemplo, a Nestlé diz agora que leite bom é o da mãe.
Parece que, de repente, a multinacional se deu conta de que o seio materno é mais nutritivo do que uma lata de leite de vaca em pó.
Não se enganem, nutrizes, ela vai continuar a produzir seus venenos lácteos, porém com cara de boazinha (afinal, assumiu publicamente que as mães é que "mandam", ganhando a simpatia feminina).

Outro exemplo: a Souza Cruz, produtora do fumo que mata milhares, "depois de ter divulgado, por vários anos, seus esforços internos na preservação do meio ambiente" - palavras do gerente de Assuntos Corporativos da empresa, Flávio Goulart - passa a nortear seus anúncios institucionais na conscientização ambiental, dentro da linha de criação "como fazer um mundo melhor".
Certamente, um mundo melhor seria aquele em que a indústria parasse de produzir cigarros que, comprovadamente, adoecem e matam seres humanos.

Enfim, se o lobo veste a roupa da vovó, não temos mais o que temer!

Quando a alcatéia corporativa em massa colocar a touca, a camisola e os óculos da boa velhinha, seus feitos criminosos serão dissimulados por uma nuvem de fumaça, distorcendo a realidade, que com muito esforço, as pessoas estão percebendo.
Uma nova estratégia nasceu. Desviem a atenção, vamos direcionar os holofotes da curiosidade para a "nova onda": salvar o planeta!

Ponto1: se o planeta encontra-se exaurido e em situação calamitosa, deve-se a maior parte da culpa ao próprio ser humano e sua gana de progresso a qualquer preço;

Ponto 2: mesmo vestindo a fantasia "da hora" - verde que te quero verde - a Indústria segue poluindo e destruindo à vontade - talvez agora mais à vontade, já que posa de "ecologicamente correta".

Ponto 3: o inimigo está mais poderoso pois ficou mais difícil de ser identificado - está camuflado!

Logo: abram seus olhos e suas mentes!
Temos que desenvolver com maestria a arte de ler nas entrelinhas.
Fiquemos mais alertas.

2 comments:

Ana Cláudia Bessa said...

A Simone Zelner me convidou a participar de um meme entitulado Feliz Ano Novo Sustentável(http://simonezelner.blogspot.com/2008/01/feliz-ano-novo-sustentvel.html). Adorei a idéia e já incluo este post(http://ofuturodopresente.blogspot.com/2008/01/por-onde-eu-comeo.html no meme e convido minhas queridas amigas para participar e falar daquilo que elas esperam mudar em seu hábitos ou transformar sua rotina em algo mais sustentável. Lembrando sempre que não precisamos virar eco-chatos, nem pensar que fazer tudo ecologicamente correto é o mais esperado. O mais esperado é transformar nossas rotina, não abrir mão totalmente das coisas que gostamos. O mais importante é encontrar novos caminhos!

Ana B.
Cleite Fontenelle
Cristiane Fetter
Denise Arcoverde
Mercedes Lorenzo
Renata Gonçalves
Renata Matteoni
Rita de Cássia
Vera Falcão

Ana Cláudia Bessa said...

Vera,
Essas empresas ainda são as descaradas, pior é a gama de empresas que estão se aproveitando dessa onda verde para se promover em função de uma sustentabilidade que elas verdadeiramente não sustentam. O difícil, muito difícil, é separa o joio do trigo.
Tem um blog Chamado Empresa Verde que aparentemente fala de forma transparente sobre o assunto, vale conferir,embora seja da Editora Globo...
http://www.empresaverde.globolog.com.br/